Ser um bom líder de compras vai muito para além dos conhecimentos técnicos que a área exige. As competências comportamentais estão a ser cada vez mais requisitadas para essa posição.

Por essa razão, o líder de compras precisa de se conhecer a si mesmo e ser um exemplo para o grupo. Nesse cenário, uma das competências mais importantes para o profissional é o autoconhecimento.

Ter consciência a respeito de si próprio contribui para uma gestão mais assertiva, uma equipa mais motivada e, consequentemente, melhores resultados.

Porém, conseguir ter essa compreensão de si não é fácil. Além dos pontos fortes, os líderes também precisam de ter consciência das suas fraquezas.

Selecionámos 7 habilidades comportamentais para ser um bom líder em compras e incluímos uma indicação de leitura para cada uma delas:

1. Não tenha medo de pedir ajuda

Um bom líder em compras não tem medo de pedir ajuda quando necessário. Por maior que seja a sua experiência, está ciente de que não saber algo não significa ignorância ou falta de conhecimento suficiente para ocupar uma posição de liderança.

Uma das formas mais efetivas para evoluir profissionalmente é perguntar às pessoas da sua equipa ou a colegas de trabalho o que pensam ao seu respeito. Isso mostra-lhes que está disposto a tentar detetar os seus pontos a melhorar para os aprimorar.

Certamente, pedir ajuda também é uma forma de demonstrar confiança no trabalho da sua equipa e ter mais hipóteses de conquistar o envolvimento das pessoas.

Dica de leitura

Não tenha medo de ser chefe – Bruce Tulgan (Editora Sextante)

Neste livro, poderá conhecer, a partir de casos reais, os principais mitos e dificuldades enfrentados pelos gestores para conduzir as suas equipas ao sucesso.

Um dos maiores especialistas no assunto, Bruce Tulgan, vai ajudá-lo a adquirir o hábito de gerir as pessoas todos os dias e a resolver os pequenos problemas de desempenho, antes que se agravem.

Leia um excerto do livro aqui.

2. Dê feedback

Oferecer feedback das atividades desempenhadas pela equipa liderada por si contribui para o desenvolvimento de cada um dos profissionais, inclusive para o seu. Essa é uma das melhores estratégias para garantir que os trabalhos continuam alinhados com o ritmo de produção.

Com a migração das atividades para o home office, modelo de trabalho que deve permanecer daqui para frente, e a necessidade de liderar equipas à distância, o líder em compras precisa de garantir que a cultura de feedback permaneça nos encontros remotos.

Todos ganham com isso: empresa, líder e colaborador. Um feedback assertivo e empático é fundamental para aproximar as pessoas das metas e impulsionar o seu desenvolvimento.

Dica de leitura

Dar Feedback Eficaz – Harvard Business Review (Edições Texto & Grafia)

Para ajudar as pessoas a atingirem as metas e realizarem o seu potencial, precisa de lhes fornecer feedback regularmente. Mas a tensão de falar sobre questões delicadas pode ser esmagadora.

Este livro fornece conselhos práticos para transformar qualquer conversa sobre desempenho – de atualizações semanais a avaliações anuais – numa oportunidade de crescimento e desenvolvimento.

3. Reconheça os méritos profissionais da sua equipa

A principal ferramenta de gestão de um líder de compras é saber reconhecer tanto o seu potencial, como o dos seus colaboradores. Isso aumenta as chances da satisfação profissional e, consequentemente, a motivação das pessoas para gerar mais resultados.

“As pessoas devem ser vistas como parceiras das organizações. Elas são fornecedoras de conhecimentos, habilidades, competências e, sobretudo, o mais importante aporte para as organizações: a inteligência”.

Esta frase de Idalberto Chiavenato, famoso autor brasileiro de livros sobre administração, reforça a importância de empresas e líderes em valorizar seus colaboradores.

Dica de leitura

Equipes brilhantes – Daniel Coyle (Editora Sextante)

Com base em pesquisas científicas recentes, Daniel Coyle identifica três competências-chave que geram coesão e cooperação, e explica de que forma grupos heterogéneos aprendem a funcionar como uma mente única.

Não importa o tamanho do seu grupo, este livro vai ensinar-lhe os princípios da química cultural que transforma indivíduos em equipas capazes de realizações incríveis.

Leia um trecho do livro aqui.

4. Envolva a sua equipa

Ter colaboradores envolvidos significa ter uma experiência positiva no dia a dia da empresa. Para isso, ter um ambiente de trabalho agradável é essencial, pois gera menos resistência das pessoas, que tendem a produzir melhor.

Para isso, o líder em compras precisa de deixar claros os caminhos necessários para o sucesso da equipa e como é que cada colaborador pode contribuir para isso. Ao saber que a sua ação é essencial para conquistar as metas, o colaborador tende a sentir-se motivado.

Além disso, pessoas envolvidas com a equipa geram resultados mais precisos e aumentam a capacidade de inovação e criatividade de uma empresa.

Dica de leitura

Motivação 3.0 – Daniel H. Pink (Editora Sextante)

Com base em décadas de pesquisas científicas, Pink expõe neste livro o descompasso entre a ciência da motivação e as práticas corporativas, e explica como isso afeta todos os aspetos da nossa vida.

Examinando os três elementos da verdadeira motivação – autonomia, excelência e propósito –, o livro apresenta técnicas inteligentes e surpreendentes para colocar estes princípios em ação.

Leia um excerto aqui.

5. Saiba tomar decisões

Hoje, as decisões nas empresas tornaram-se mais complexas. Tomar uma decisão tanto pode representar  o sucesso como o fracasso. Em compras, essa tarefa ainda tem muito peso, já que as escolhas estão ligadas a custos e poupança das empresas.

O autoconhecimento traz confiança, qualidade necessária para liderar e procurar respostas. Com isso, o líder de compras também passa a perceber se está pronto para alcançar os resultados e, muitas vezes, traz propostas de como melhorá-los.

Nesse sentido, é importante considerar ideias, sugestões e participação das pessoas da equipa nas tomadas de decisão, principalmente quando há impacto direto nas atividades realizadas por elas.

Dica de leitura

Pensar, depressa e devagar – Daniel Kahneman (Temas & Debates)

Em Pensar, depressa e devagar, Daniel Kahneman leva-nos numa viagem pela mente humana e explica as duas formas de pensar: uma é rápida, intuitiva e emocional; a outra, mais lenta, deliberativa e lógica.

Kahneman revela quando podemos ou não confiar na nossa intuição e oferece insights práticos sobre como tomar decisões nos negócios e na vida pessoal.

6. Use a sua criatividade

A criatividade está a ganhar cada vez mais importância nas organizações e os líderes de sucesso são considerados pessoas criativas e disruptivas. O potencial criativo de um líder é fundamental para transformações positivas, pois está ligado à capacidade de inovação.

Mas, na maioria das vezes, o líder não está sozinho. A criatividade de um líder de compras e de uma empresa é potenciada pelo coletivo. Por isso, ter pessoas diversas na equipa, com diferentes expertises, é muito benéfico para a inovação e competitividade.

Dica de leitura

Isto não é um livro – Keri Smith (Editorial Planeta)

Em Isto não é um livro, a autora surpreende os leitores com inúmeras situações inusitadas que os farão questionar o que, de facto, é um livro.

Plantar ideias, transformar páginas, viajar no tempo, desafiar-se – os convites a interagir e interferir no conteúdo são os mais diversos e improváveis, numa aventura de criação que atiça a curiosidade e põe em causa os paradigmas do que são e para que servem os livros que lemos.

7. Ouça o que as pessoas têm a dizer

A escuta ativa é uma das competências mais importantes para um líder em compras. Saber ouvir é fundamental para o processo de aprendizagem e crescimento profissional.

O conceito de escuta ativa tem a preocupação de ouvir atentamente o que uma pessoa diz, procurar entender ao máximo o que está a ser dito, considerar a linguagem corporal durante uma conversa e ser capaz de criar uma empatia.

Um líder que escuta está mais disposto a atualizar o seu modo de pensar e agir, inovar, conhecer melhor as pessoas e, claro, aprimorar os seus relacionamentos.

Dica de leitura

O palhaço e o psicanalista – Christian Dunker e Cláudio Thebas (Editora Paidós)

Christian Dunker e Cláudio Thebas abordam, neste livro, com bom humor e profundidade, um tema comum para ambos os ofícios: como escutar os outros? Como ouvir-se a si mesmo? E como a escuta pode transformar pessoas?

Misturando experiências, testemunhos, casos e reflexões filosóficas, os autores partilham o que aprenderam sobre a arte da escuta, um tema tão urgente no mundo atual.

Acima, vimos algumas competências para a liderança em compras, que vão muito para além do conhecimento técnico.

Gostou deste conteúdo? Pode partilhá-lo nas suas redes sociais, bastando clicar nos botões no topo do artigo.

Até à próxima! 😉